ISSN: 1678-4006
Algar Tech

Sexta-Feira, 18 de Janeiro de 2019, 15:54:27


 
 BENCHMARK
 CALL CENTER BRASIL
 CASES/PREMIAÇÕES
 EXECUTIVOS
 INTERNET/REDES SOCIAIS
 MARKETING E MERCADO
 MOBILIÁRIO CORPORATIVO
 OPORTUNIDADES
 PESQUISA DE MERCADO
 PRODUTOS E SERVIÇOS
 PROMOÇÕES
 PUBLICAÇÕES
 RECURSOS HUMANOS
 SAÚDE
 TECNOLOGIA TI/TIC
 TREINAMENTO


 
PUBLICIDADE

 

 

 


 
 

 
Notícias

IDC Brasil apresenta análise do mercado de transações móveis

Conheça um pouco do conteúdo do boletim, publicado pela IDC Brasil, que analisa os sete passos fundamentais para o sucesso das empresas que desejam entrar no promissor mercado de transações comerciais wireless

A poucos passos de uma sociedade totalmente móvel, em que temos mais de 28 milhões usuários de aparelhos celulares no Brasil -- sem falar na base crescente de PDAs, handhelds, etc, o mCommerce -- transação comercial realizada através de equipamentos sem fio, emerge como um dos grandes fatores que delinearão o modo como as pessoas irão interagir com as empresas e o comércio.

Esta é a conclusão da IDC Brasil com o Boletim Brazil mCommerce in Seven Lessons. Com o mCommerce, o telefone celular, até então visto apenas como um instrumento de voz e dados, passa a servir como agente transacional, rompendo os meios de vendas convencionais e, até mesmo, impulsionando o eCommerce (transações via Web).

De acordo com a analista responsável pelo estudo, Andrea Renger, entre os mais variados benefícios do mCommerce, destacam-se o incremento da lucratividade e das receitas, a interação com usuário, e a redução do churn. “Isso não quer dizer, no entanto, que todas as empresas que ofertarem soluções de mCommerce prosperarão. Assim como ocorreu com a Internet, alguns empreendimentos podem não ofertar o correto mix comercial e tenderão a falir. É preciso estar atento às reais necessidades do mercado”.

Porém, muitas empresas poderão tirar proveito do mCommerce e alavancar suas receitas. As operadoras celular e, conseqüentemente, as fixas, se beneficiarão conforme as transações comerciais aumentarem em modo eletrônico. Além dessas empresas, bancos, instituições financeiras e companhias de clearing house também poderão tirar grande proveito. Mas, mais importante – e este deveria ser o foco de todo desenvolvimento do modelo – o usuário também deverá perceber todos os reais benefícios com as soluções de mCommerce.

Muitas empresas chegaram a apostar no eCommerce como promessa de retorno garantido, mas sem conseguirem usufruir das suas vantagens. “O que deve ser claro desde o início no caso do mCommerce é que suas soluções devem ser desenhadas para um mercado existente, ou seja, os usuários não surgirão ao acaso e, por isso, é preciso que se vá até ele”, enfatiza a analista.

Ao contrário do eCommerce, os serviços de mCommerce serão básicos no trânsito das informações, com produtos e serviços estando em constante movimento, a qualquer instante e em qualquer lugar. Ele apenas mudará a forma de comércio e facilitará o acesso às compras.

Além destas informações, o boletim ainda apresenta e analisa sete passos fundamentais para o sucesso do mCommerce, aos quais devem estar atentas as empresas que desejam entrar neste mercado promissor. São eles:

1- O que sobra sem o exagero Quando se compara o que aconteceu com os serviços de eCommerce, que levaram muitos anos para se tornarem rentáveis, pode-se concluir que esta mesma tendência seja aplicável ao mCommerce. Somente depois de algum tempo, investimentos e um grande esforço de marketing, as operadoras móveis terão retorno sobre os aportes realizados – juntamente com provedores de conteúdo, de soluções e de comércio – e, a longo prazo, terão lucros advindos do mCommerce.

2- O que é preciso para o mCommerce São muitos os requisitos para que o mCommerce seja realmente um sucesso – alguns já podem ser vislumbrados hoje em dia, enquanto outros levarão algum tempo e dinheiro para serem desenvolvidos. Entre eles, podemos citar o exemplo dos dispositivos com browser, da segurança, de ter algo para vender e alguém para comprar, da personalização, por exemplo. A realidade mostra que muitos desses requisitos ainda estão distantes de serem soluções completas de mCommerce, com o sucesso dependendo do seu desenvolvimento e oferta.

3- Obstáculos para adoção Entre os fatores que se destacam como forte  barreira à adoção do mCommerce está a segurança. Sem ela, a resistência à utilização será grande, podendo prejudicar o futuro deste mercado. Outros fatores, entretanto, não devem ser esquecidos, como a integração de aplicativos e os padrões conflitantes atualmente existentes, por exemplo.

4- Aceleradores do mercado Nos principais aceleradores do mercado de mCommerce encontram-se as operadoras móveis, que têm papel fundamental na divulgação e incentivo do uso dessa facilidade entre seus usuários. Uma adequada comunicação direcionada ao público certo será essencial nesse processo. Destacam-se ainda os fabricantes de equipamentos e os desenvolvedores de aplicativos, importantes na disponibilidade de ferramentas que possibilitam a prática de mCommerce.

5- Serviços Em mercados mais maduros, como em países europeus, por exemplo, vários serviços podem ser identificados. Porém, a cultura brasileira requer certas adaptações aos hábitos e costumes nacionais. Ao todo, são identificados alguns serviços básicos que poderiam ser bem aceitos no mercado brasileiro, como o pagamento de contas, que será o serviço individual de maior utilização para mCommerce. Os serviços de vendas de ingressos para entretenimento -- cinema, teatro ou concertos, e soluções que englobem viagem e turismo são, obviamente, um dos serviços lógicos para mCommerce, pois necessariamente envolvem mobilidade.

 6- Perspectivas Tecnológicas Até o momento, a impressão é que a Internet móvel pode ser muito recompensadora para aqueles que se engajam nela. O fator “móvel” e suas implicações, no entanto, deve ser avaliado com cuidado, ao invés de logo descartado por sua complexidade. O fato é que a infra-estrutura tecnológica na Europa, por exemplo, ainda não condiz com a razão real do negócio e será a perspectiva tecnológica que definirá o progresso da comunicação móvel.

7- Segurança A Internet móvel é insegura por natureza. Em redes fixas, a permissão ao acesso requer uma conexão física com fios - o que não é o caso nas redes móveis. Muitos dos riscos de segurança inerentes à Internet móvel são os mesmos que para a Internet convencional. Entretanto, a Internet móvel exige atenção especial por causa de sua forma de transmissão, sem mencionar o fato de que ainda é relativamente imatura.

 Concluindo, várias são as empresas que poderão se engajar em projetos de mCommerce e poderão fazer dinheiro com isso. A longo prazo, a IDC Brasil acredita que há muito potencial a ser explorado por organizações diversas, desde que promovam o mCommerce para usuários corporativos e residenciais que estejam em movimento, longe das tradicionais facilidades de comércio. Andrea diz que é preciso, no entanto, estar atento às questões levantadas e ter sempre em mente que no mundo móvel as particularidades e necessidades são bem mais específicas que para a realidade “fixa”.

A poucos passos de uma sociedade totalmente móvel, em que temos mais de 28 milhões usuários de aparelhos celulares no Brasil -- sem falar na base crescente de PDAs, handhelds, etc, o mCommerce -- transação comercial realizada através de equipamentos sem fio, emerge como um dos grandes fatores que delinearão o modo como as pessoas irão interagir com as empresas e o comércio.

Esta é a conclusão da IDC Brasil com o Boletim Brazil mCommerce in Seven Lessons. Com o mCommerce, o telefone celular, até então visto apenas como um instrumento de voz e dados, passa a servir como agente transacional, rompendo os meios de vendas convencionais e, até mesmo, impulsionando o eCommerce (transações via Web).

De acordo com a analista responsável pelo estudo, Andrea Renger, entre os mais variados benefícios do mCommerce, destacam-se o incremento da lucratividade e das receitas, a interação com usuário, e a redução do churn. “Isso não quer dizer, no entanto, que todas as empresas que ofertarem soluções de mCommerce prosperarão. Assim como ocorreu com a Internet, alguns empreendimentos podem não ofertar o correto mix comercial e tenderão a falir. É preciso estar atento às reais necessidades do mercado”.

Porém, muitas empresas poderão tirar proveito do mCommerce e alavancar suas receitas. As operadoras celular e, conseqüentemente, as fixas, se beneficiarão conforme as transações comerciais aumentarem em modo eletrônico. Além dessas empresas, bancos, instituições financeiras e companhias de clearing house também poderão tirar grande proveito. Mas, mais importante – e este deveria ser o foco de todo desenvolvimento do modelo – o usuário também deverá perceber todos os reais benefícios com as soluções de mCommerce.

Muitas empresas chegaram a apostar no eCommerce como promessa de retorno garantido, mas sem conseguirem usufruir das suas vantagens. “O que deve ser claro desde o início no caso do mCommerce é que suas soluções devem ser desenhadas para um mercado existente, ou seja, os usuários não surgirão ao acaso e, por isso, é preciso que se vá até ele”, enfatiza a analista.

Ao contrário do eCommerce, os serviços de mCommerce serão básicos no trânsito das informações, com produtos e serviços estando em constante movimento, a qualquer instante e em qualquer lugar. Ele apenas mudará a forma de comércio e facilitará o acesso às compras.

Além destas informações, o boletim ainda apresenta e analisa sete passos fundamentais para o sucesso do mCommerce, aos quais devem estar atentas as empresas que desejam entrar neste mercado promissor. São eles:

1- O que sobra sem o exagero Quando se compara o que aconteceu com os serviços de eCommerce, que levaram muitos anos para se tornarem rentáveis, pode-se concluir que esta mesma tendência seja aplicável ao mCommerce. Somente depois de algum tempo, investimentos e um grande esforço de marketing, as operadoras móveis terão retorno sobre os aportes realizados – juntamente com provedores de conteúdo, de soluções e de comércio – e, a longo prazo, terão lucros advindos do mCommerce.

2- O que é preciso para o mCommerce São muitos os requisitos para que o mCommerce seja realmente um sucesso – alguns já podem ser vislumbrados hoje em dia, enquanto outros levarão algum tempo e dinheiro para serem desenvolvidos. Entre eles, podemos citar o exemplo dos dispositivos com browser, da segurança, de ter algo para vender e alguém para comprar, da personalização, por exemplo. A realidade mostra que muitos desses requisitos ainda estão distantes de serem soluções completas de mCommerce, com o sucesso dependendo do seu desenvolvimento e oferta.

3- Obstáculos para adoção Entre os fatores que se destacam como forte  barreira à adoção do mCommerce está a segurança. Sem ela, a resistência à utilização será grande, podendo prejudicar o futuro deste mercado. Outros fatores, entretanto, não devem ser esquecidos, como a integração de aplicativos e os padrões conflitantes atualmente existentes, por exemplo.

4- Aceleradores do mercado Nos principais aceleradores do mercado de mCommerce encontram-se as operadoras móveis, que têm papel fundamental na divulgação e incentivo do uso dessa facilidade entre seus usuários. Uma adequada comunicação direcionada ao público certo será essencial nesse processo. Destacam-se ainda os fabricantes de equipamentos e os desenvolvedores de aplicativos, importantes na disponibilidade de ferramentas que possibilitam a prática de mCommerce.

5- Serviços Em mercados mais maduros, como em países europeus, por exemplo, vários serviços podem ser identificados. Porém, a cultura brasileira requer certas adaptações aos hábitos e costumes nacionais. Ao todo, são identificados alguns serviços básicos que poderiam ser bem aceitos no mercado brasileiro, como o pagamento de contas, que será o serviço individual de maior utilização para mCommerce. Os serviços de vendas de ingressos para entretenimento -- cinema, teatro ou concertos, e soluções que englobem viagem e turismo são, obviamente, um dos serviços lógicos para mCommerce, pois necessariamente envolvem mobilidade.

 6- Perspectivas Tecnológicas Até o momento, a impressão é que a Internet móvel pode ser muito recompensadora para aqueles que se engajam nela. O fator “móvel” e suas implicações, no entanto, deve ser avaliado com cuidado, ao invés de logo descartado por sua complexidade. O fato é que a infra-estrutura tecnológica na Europa, por exemplo, ainda não condiz com a razão real do negócio e será a perspectiva tecnológica que definirá o progresso da comunicação móvel.

7- Segurança A Internet móvel é insegura por natureza. Em redes fixas, a permissão ao acesso requer uma conexão física com fios - o que não é o caso nas redes móveis. Muitos dos riscos de segurança inerentes à Internet móvel são os mesmos que para a Internet convencional. Entretanto, a Internet móvel exige atenção especial por causa de sua forma de transmissão, sem mencionar o fato de que ainda é relativamente imatura.

 Concluindo, várias são as empresas que poderão se engajar em projetos de mCommerce e poderão fazer dinheiro com isso. A longo prazo, a IDC Brasil acredita que há muito potencial a ser explorado por organizações diversas, desde que promovam o mCommerce para usuários corporativos e residenciais que estejam em movimento, longe das tradicionais facilidades de comércio. Andrea diz que é preciso, no entanto, estar atento às questões levantadas e ter sempre em mente que no mundo móvel as particularidades e necessidades são bem mais específicas que para a realidade “fixa”.

Em: 27/09/2006



:: MAIS RECENTES

  • [17/01/2019] Liq automatiza processos de atendimento com solução de RPA da Nice
  • [17/01/2019] Saúde 4.0: Como o uso da tecnologia torna o setor mais eficiente ao acompanhar a jornada do paciente
  • [17/01/2019] Trend Micro IoT Security 2.0 aprimora a proteção do usuário final e a reputação dos fabricantes de dispositivos
  • [17/01/2019] DB1 Global Software cresce 41% e fatura 41,2 milhões em 2018
  • [17/01/2019] Algar Telecom amplia atuação no segmento de micro e pequenas empresas
  • [16/01/2019] MicroStrategy usa décadas de expertise e atuação exclusiva em analytics para elevar inteligência corporativa a um novo nível
  • [16/01/2019] Atento anuncia cerca de 2,5 mil oportunidades de emprego em estados do Sudeste
  • [16/01/2019] Grupo Viamar cresce 300% em captação de novos leads com solução de CRM e aumenta o número de agendamentos na oficina
  • [15/01/2019] Estudo da Gemalto revela que quase metade das empresas ainda não consegue detectar violações em dispositivos IoT
  • [15/01/2019] Tecnologia brasileira utilizada em agências bancárias está pronta para atender o varejo em 2019

  •  
    VAGAS

      

    VAGAS

    CURRÍCULOS

    Banner Rigel Botão Branco

    Banner Guia Botão

    Banner Kinderen

    Banner Call To Call sistema

    CallToCall Terceirização

    CallToCall Cursos


    Se desejar enviar esta página para um amigo, clique no botão abaixo:


     GUIA ONLINE  |  BANNERS  |  ÉTICA  |  GLOSSÁRIO   |  RESPONSABILIDADE SOCIAL  |   QUEM SOMOS  |  CLIQUE MAIS 

    Sistema Call To Call - 11 5579-0341

    Website criado por interAmplitude