ISSN: 1678-4006
MHEscritórios

Sábado, 23 de Março de 2019, 13:56:00


 
 BENCHMARK
 CALL CENTER BRASIL
 CASES/PREMIAÇÕES
 EXECUTIVOS
 INTERNET/REDES SOCIAIS
 MARKETING E MERCADO
 MOBILIÁRIO CORPORATIVO
 OPORTUNIDADES
 PESQUISA DE MERCADO
 PRODUTOS E SERVIÇOS
 PROMOÇÕES
 PUBLICAÇÕES
 RECURSOS HUMANOS
 SAÚDE
 TECNOLOGIA TI/TIC
 TREINAMENTO


 
PUBLICIDADE

 

 

 


 

 
 
Artigos

Artigo 2.912 - GDPR e LGPD: o caminho para uma lei global de privacidade, por Camilo Gutierrez
Camilo Gutierrez

No último ano, aconteceram diversos vazamentos de dados e roubos de informações. Em 2018, o Brasil foi o quarto país com mais infecções por ransomware em toda a América Latina. E o ano também foi marcado pela divulgação de um dos maiores casos de uso indevido de dados da história, o escânlado da Cambridge Analytica. 2019 também já começou com significativos, como a violação de dados chamada Coleção # 1, na qual 773 milhões de endereços de e-mail e mais de 21,2 milhões de senhas foram expostos.

Apesar de tantos casos recentes de ransomwares, malwares e vazamentos de informações, nos últimos meses também aconteceram discussões valiosíssimas sobre privacidade e segurança de dados pessoas. Especialmente impulsionados pela criação do Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR), que entrou em vigor na União Europeia – um fato que influencia não apenas os países da Europa, mas o resto do mundo.

Na esteira da Europa, países como o Brasil, com o LPGD (Lei Geral de Proteção de Dados), ou China, com sua lei de proteção de dados, implementaram regulamentos similares e até se inspiraram no modelo do GDPR, não apenas como referência, mas também para que haja reciprocidade.

A Califórnia, nos Estados Unidos, lançou em 2018 o California Consumer Privacy Act (CCPA). Apesar de ser um único estado norte-americano a ter uma lei de proteção de dados, é importante compreender a importância dessa medida, pois, se a Califórnia fosse um país independente, representaria a quinta maior economia do mundo, atrás de países como a Alemanha, a China e o resto dos Estados Unidos. Portanto, é de se esperar que o CCPA acabe sendo replicado pelos demais estados dos EUA, o que teria um impacto tão grande quanto o GDPR teve na Europa.

Acredito que esses sejam apenas os primeiros passos para que a segurança e a privacidade dos dados do usuário se tornem uma prioridade para empresas e governos. Espera-se que a partir de 2019, com o impulso que significou a entrada em vigor GDPR e outras leis similares em diversos países, o mundo caminhe para uma lei global de privacidade.

É provável que em 2019 continuem existindo casos de violações de segurança e que um grande número de usuários seja afetado por eles. Até que essa tendência em direção a uma lei global de proteção de dados se materialize, iniciativas como a criação de leis locais de proteção de dados e a consequente discussão do tema, ajudam a colocar o assunto em evidência. Com isso, empresas, governos e usuários podem discutir que ações tomar na direção da melhora na proteção e segurança cibernética, otimizando, assim, o gerenciamento de informações pessoais e corporativas, e dando o valor adequado a esse bem tão importante e valioso.

Publicado em: 15/02/2019

Confira os comentários já feitos para este artigo:

 
VAGAS

  

VAGAS

CURRÍCULOS

Banner Rigel Botão Branco

Banner Guia Botão

Fundação Abrinq

Banner Call To Call Cotações

Banner Call To Call Cursos

Banner Call To Call sistema


Se desejar enviar esta página para um amigo, clique no botão abaixo:


 GUIA ONLINE  |  BANNERS  |  ÉTICA  |  GLOSSÁRIO   |  RESPONSABILIDADE SOCIAL  |   QUEM SOMOS  |  CLIQUE MAIS 

Sistema Call To Call - 11 5579-0341

Website criado por interAmplitude