ISSN: 1678-4006
MHEscritórios

Quinta-Feira, 22 de Agosto de 2019, 15:16:45


 
 BENCHMARK
 CALL CENTER BRASIL
 CASES/PREMIAÇÕES
 EXECUTIVOS
 INTERNET/REDES SOCIAIS
 MARKETING E MERCADO
 MOBILIÁRIO CORPORATIVO
 OPORTUNIDADES
 PESQUISA DE MERCADO
 PRODUTOS E SERVIÇOS
 PROMOÇÕES
 PUBLICAÇÕES
 RECURSOS HUMANOS
 SAÚDE
 TECNOLOGIA TI/TIC
 TREINAMENTO


 
PUBLICIDADE

 

 

 


 

 
 
Artigos

Novos formatos logísticos na cadeia produtiva de TI
José Bublitz

Qual o formato logístico compatível com a velocidade do e-commerce B2C? Como fazer frente à customização extrema dos produtos? Teremos que ter estoque na prateleira para dezenas de modelos de notebooks por fabricante? Como prever a demanda de cada variação de modelo? Como enfrentar o trânsito próximo do impossível nas grandes cidades e as distâncias gigantescas entre cidades com custos logísticos razoáveis?

Estas são algumas perguntas que os novos formatos logísticos têm que responder. O faturamento direto, no qual o distribuidor envia o produto diretamente ao cliente final e comissiona a revenda responsável pelo negócio, é uma realidade há muitos anos no nosso mercado de distribuição. Evita-se a bitributação e a perda de tempo fazendo os produtos viajarem do distribuidor para a revenda, e de lá para o cliente final. Há operações inteiras de e-commerce B2C dentro de distribuidores usando este recurso.

O próximo grande passo é alocar fisicamente operações do distribuidor dentro dos fabricantes. Com isto, ganhamos o tempo de transporte do fabricante ao distribuidor, ganhamos um argumento fortíssimo para sermos considerados substitutos tributários, sendo extensões dos fabricantes. E continuamos fazendo o que fazemos de melhor: coordenando a chegada e a saída dos produtos para a revenda ou, melhor ainda, para seu cliente final. O grande desafio passará a ser a coordenação entre diversas operações logísticas dentro e fora de fabricantes para fazer com que todos os itens de um pedido cheguem simultaneamente (ou quase) ao seu destino.

O tempo ganho por evitar os transportes, as operações de recebimento e expedição intermediários e as vantagens fiscais podem compensar as dificuldades da coordenação e os acréscimos de custo por transportar separadamente os itens de cada fabricante. É natural que alguns pedidos se acomodem melhor neste formato que outros e esta avaliação deve fazer parte da expertise dos distribuidores.

Longe de acabar com a função do distribuidor e da revenda, este modelo usa o que cada elo da cadeia tem de melhor: a revenda no contato direto com o cliente final que ela conhece como ninguém; o fabricante que concentra seus esforços no desenvolvimento e na fabricação (eventualmente, também terceirizada); e o distribuidor que é a melhor opção na coordenação logística entre todos os elos da cadeia e um bom administrador das operações de crédito envolvidas. Enfim, o local onde a distribuição de conhecimentos, de produtos e de expertises realmente acontece.

Publicado em: 21/09/2011

Confira os comentários já feitos para este artigo:

 
VAGAS

  

VAGAS

CURRÍCULOS

Banner Rigel Botão Branco

Banner Guia Botão

Fundação Abrinq

Banner Call To Call Cotações

Banner Call To Call Cursos

Banner Call To Call sistema


Se desejar enviar esta página para um amigo, clique no botão abaixo:


 GUIA ONLINE  |  BANNERS  |  ÉTICA  |  GLOSSÁRIO   |  RESPONSABILIDADE SOCIAL  |   QUEM SOMOS  |  CLIQUE MAIS 

Sistema Call To Call - 11 5579-0341

Website criado por interAmplitude